Em nossas vidas, a figura materna representa o amor incondicional, a pureza de coração e alma, a ternura e a sabedoria em educar e corrigir,  independentemente em ser mãe de sangue, criação ou coração. Mas, muito além dessas figuras humanas maternas que convivemos e temos como exemplos em nossas vidas, podemos contar constantemente com a figura materna espiritual, daquela que disse “Sim” ao desconhecido e embarcou de corpo e alma em uma grande história de salvação da humanidade.

Maria, nossa Mãe Espiritual

Maria, que foi chamada pelo anjo de “cheia de graça”, “a escolhida”, a serva única para receber, cuidar, amar e gerar para o mundo o filho de Deus, é um grande símbolo de Mãe Espiritual. No momento em que Jesus morria por nós na cruz, salvando-nos de todos os pecados, Ele, ainda assim, ofereceu-nos um grande presente: “Eis aí a sua mãe”, e foi a partir deste momento que Maria tornou-se nossa Mãe Espiritual, a grande intercessora dos Cristãos, a qual zela por todos e aproxima-nos do Reino de Deus.

Exemplo de coragem, maturidade e fé

Maria seguiu seus caminhos discernindo os sinais de Deus na vida de Jesus e, mesmo nas situações mais duras e improváveis, Maria sempre esteve à frente dos problemas, ensinando com amor e dedicação, o caminho para o qual Deus Pai preparou para seu único Filho.

Esta mulher de fé buscou atender a vontade de Deus e, desta forma, permitiu que seu filho experimentasse nossa fragilidade humana com toda a verdade, dúvidas, emoções e inseguranças, como fez nas Bodas de Canaã, quando chamou Jesus e encorajou-o a fazer algo para que não faltasse vinho aos convidados. Sabendo-se que seu Filho estava preparado, Maria, com sabedoria dada por Deus, insistiu que os discípulos cumprissem o que Jesus, lhes pedisse.

Assim, a maternidade espiritual de Maria proporciona para cada um de nós, seus filhos, o desenvolvimento da maturidade humana, a coragem e a fé, como fez nas Bodas de Canaã. Atendendo ao pedido de seu filho Jesus: “Eis aí a tua mãe”, Maria sempre nos acolhe em seus braços, nos protege, nos guia, nos cobre com seu manto de misericórdia e, vigiando-nos ao lado de Deus, ela roga por nós. É por meio da intercessão de Maria e desta maternidade espiritual que nos sentimos amados e encorajados a seguir a vontade e o caminho de Deus.